Notícias

TV Record é acusada de abafar dois casos de assédio sexual

Denúncias envolvem diretor da emissora e apresentadora

Na última semana, veio à tona uma grave acusação envolvendo a TV Record. A emissora é acusada de abafar dois casos de assédio sexual, protagonizados por um diretor da empresa, Márcio Santos, e uma apresentadora, cujo nome não foi divulgado.

Os fatos vieram à tona após o jornalista Elian Matte, de 32 anos, denunciar publicamente o assédio sofrido por parte de Márcio Santos. Matte, que trabalhou na Record por cinco anos, relatou ter feito três denúncias formais à direção da emissora, além de registrar um boletim de ocorrência detalhando os episódios de assédio. No entanto, até o momento, a emissora não tomou nenhuma providência a respeito do caso e sequer se pronunciou sobre o assunto.

Elian Matte, formado em jornalismo, sempre sonhou em trabalhar no meio televisivo. Oportunamente, conseguiu uma vaga de estágio na Record e, ao longo dos anos, teve passagens por diversas cidades do país, atuando como repórter de vídeo. No entanto, cansado da falta de rotina e dos horários exaustivos, decidiu deixar a frente das câmeras e trabalhar como editor.

Em agosto de 2022, Matte foi convidado para uma reunião com Márcio Santos, diretor de Recursos Humanos da Record, a fim de discutir sua transferência para a equipe de Roberto Cabrini. Durante o encontro, Santos teria abordado o desempenho de Matte, criticando outros profissionais da emissora e demonstrando proximidade com altos cargos da hierarquia da TV Record.

Posteriormente, Matte foi chamado para uma reunião com Santos, sendo surpreendido com a solicitação de tomar um café. Durante o encontro, o diretor de RH abordou o desempenho de Matte e fez referência a outras figuras importantes da emissora. No entanto, o jornalista não compreendeu o motivo da reunião, pois era apenas mais um entre os milhares de funcionários da empresa.

Rhiza-castro

Os casos de assédio sexual envolvendo a TV Record lançam um grave questionamento sobre o tratamento dado aos funcionários da emissora e a postura da empresa diante de denúncias dessa natureza. A falta de ação por parte da direção da Record gera preocupação e levanta debates sobre a necessidade de uma cultura organizacional que combata e denuncie o assédio sexual.

É fundamental que casos como esses sejam investigados com seriedade e que as vítimas sejam ouvidas e amparadas. A sociedade exige transparência e responsabilidade das empresas, especialmente quando se trata de violações graves como o assédio sexual. Aguarda-se agora a postura da TV Record diante dessas denúncias, esperando que a justiça seja feita e que medidas efetivas sejam tomadas para garantir um ambiente de trabalho seguro e respeitoso para todos os profissionais da emissora.

Da Revista Piauí

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo