Brasil

Silvio Almeida: “Queremos um país livre da tortura e do autoritarismo”

O Ministro dos Direitos Humanos usou as redes sociais para elencar os vários motivos e explicar “por que ditadura nunca mais”

No domingo, 31 de março, completaram-se 60 anos do golpe militar no Brasil. Diante dessa data significativa, o ministro dos Direitos Humanos, Silvio Almeida, utilizou suas redes sociais para expressar sua posição em relação à ditadura e reforçar a importância de garantir que o país nunca mais viva sob um regime autoritário.

Por que ditadura nunca mais?

Silvio Almeida inicia seu texto respondendo à pergunta que dá título a sua publicação. Ele destaca que a sociedade brasileira deseja um país social e economicamente desenvolvido, rejeitando a ideia de um “Brasil interrompido”. Além disso, o ministro ressalta a importância de um país soberano, que defenda os interesses do povo brasileiro e que seja institucional e culturalmente democrático.

Um país com verdade e justiça

Em sua argumentação, Almeida enfatiza a relevância de um país em que a verdade e a justiça prevaleçam sobre a mentira e a violência. Ele destaca que a sociedade almeja um Brasil livre da tortura e do autoritarismo, repudiando a existência de milícias e grupos de extermínio. O ministro enfatiza a necessidade de construir uma nação que valorize a dignidade e a integridade de todos os cidadãos, sem discriminação ou violência.

O compromisso com a memória e a verdade

Almeida lembra aos leitores seu compromisso com as políticas de memória e verdade, ressaltando a importância de reconhecer os erros do passado para evitar que se repitam. Ele cita um texto de sua autoria, escrito em 2022, no qual destaca que foi necessário odiar a escravidão e os nazistas para superar essas realidades. Além disso, o ministro reforça a necessidade de repudiar com veemência aqueles que humilham e destroem a vida dos trabalhadores e das minorias.

O ódio e o nojo da ditadura

Para finalizar seu texto, Silvio Almeida relembra uma afirmação clássica de Ulisses Guimarães sobre a ditadura: “É preciso ter ódio e nojo da ditadura”. Com essa frase, o ministro ressalta a importância de repudiar veementemente qualquer forma de autoritarismo e lutar pela democracia.

Conclusão


Silvio Almeida, ministro dos Direitos Humanos, utilizou suas redes sociais para expor os motivos pelos quais a sociedade brasileira deseja um país livre da tortura e do autoritarismo. Em seu texto, ele destacou a importância de um Brasil social e economicamente desenvolvido, soberano e democrático.

Almeida também ressaltou a necessidade de uma nação em que a verdade e a justiça prevaleçam sobre a mentira e a violência, sem a presença de milícias e grupos de extermínio.

O ministro reafirmou seu compromisso com as políticas de memória e verdade, enfatizando a importância de repudiar veementemente aqueles que humilham e destroem a vida dos trabalhadores e das minorias.

Por fim, Almeida concluiu seu texto relembrando a afirmação de Ulisses Guimarães sobre a ditadura, reforçando a necessidade de repudiar qualquer forma de autoritarismo e celebrar a democracia.

Com Revista Fórum

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo