Mundo

Silvio Almeida denunciará genocídio praticado por Israel na Palestina na ONU, a pedido de Lula

Discurso nesta segunda-feira marcará a volta do Brasil ao Conselho de Direitos Humanos e seguirá linha adotada pelo presidente: condena o Hamas e também o governo sionista

Nesta segunda-feira, o Brasil fará uma denúncia contundente no Conselho de Direitos Humanos da ONU, a respeito do genocídio praticado por Israel na Palestina. O pedido de denúncia foi feito pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e o representante brasileiro será o ministro de Direitos Humanos e Cidadania, Silvio Almeida.

Essa iniciativa marca o retorno do Brasil ao debate sobre a questão palestina no âmbito internacional, e seguirá a linha adotada pelo presidente, condenando tanto os ataques terroristas do Hamas quanto o governo sionista.

Defesa da criação de um estado palestino


O Brasil defenderá no Conselho de Direitos Humanos da ONU a criação de um estado palestino. Essa posição reforça o compromisso do país com a busca de uma solução pacífica e justa para o conflito entre Israel e Palestina, baseada na coexistência de dois estados independentes e soberanos. A defesa desse princípio é fundamental para promover a paz e a estabilidade na região.

Denúncia dos crimes contra a população civil


Silvio Almeida irá denunciar os crimes cometidos contra a população civil durante o conflito entre Israel e Palestina. Esses crimes têm resultado em um número alarmante de vítimas, incluindo mulheres, crianças e idosos. É importante ressaltar a necessidade de responsabilização dos envolvidos e de garantir que esses atos sejam investigados de acordo com os princípios do direito internacional.

Condenação dos ataques terroristas e do uso desproporcional da força


O discurso do ministro Silvio Almeida seguirá a linha adotada pelo presidente Lula, condenando tanto os ataques terroristas do Hamas quanto o uso desproporcional da força por parte de Israel. É essencial reconhecer a complexidade do conflito e a importância de responsabilizar todas as partes envolvidas por suas ações. A busca por uma solução pacífica deve incluir a condenação de todas as formas de violência e o respeito aos direitos humanos.

Urgência na busca por uma solução com dois estados


O Brasil ressaltará a urgência de se buscar uma solução que permita a coexistência de dois estados, Israel e Palestina, vivendo lado a lado. A criação de um estado palestino independente e soberano é fundamental para garantir a paz, a segurança e o desenvolvimento da região. É necessário o engajamento da comunidade internacional para promover negociações e diálogos que levem a uma solução justa e duradoura.

A denúncia do genocídio praticado por Israel na Palestina, a pedido do ex-presidente Lula, é uma iniciativa importante que coloca o Brasil novamente no centro do debate sobre a questão palestina. A posição do país de condenar tanto os ataques terroristas do Hamas quanto o uso desproporcional da força por parte de Israel reforça o compromisso com a promoção dos direitos humanos e da paz.

A busca por uma solução com dois estados, vivendo lado a lado, é essencial para alcançar a estabilidade e o desenvolvimento na região. É fundamental que a comunidade internacional se engaje nesse processo, buscando uma solução justa e duradoura para o conflito.

Com Brasil 247

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo