ReligiãoPolítica

Pastor Everaldo, réu por corrupção, ainda recebe R$ 25 mil mensais do Podemos

O Pastor Everaldo, conhecido por abençoar o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) nas águas do Rio Jordão em Israel, não teve mudanças em seu salário de R$ 25 mil no Podemos após a fusão do partido com o PSC, do qual ele era presidente. Essa informação foi divulgada pelo Metrópoles.

Apesar das acusações de corrupção que enfrenta na Justiça Federal, o Pastor Everaldo continua sendo reconhecido como o primeiro vice-presidente do Podemos, mantendo o mesmo salário que recebia quando liderava o PSC.

Em agosto de 2020, Everaldo e dois de seus filhos foram detidos durante uma operação que resultou na remoção do então governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. O pastor foi acusado de liderar uma organização criminosa envolvida em desvio de recursos públicos da Saúde e de empresas estatais do Rio de Janeiro. Embora tenha sido libertado da prisão em julho de 2021, só recebeu permissão para retomar suas atividades políticas em julho de 2022.

O processo criminal, originado da Operação Tris in Idem, ainda está aguardando julgamento na 4ª Vara Federal do Rio de Janeiro. Em junho de 2023, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou a fusão do PSC com o Podemos, uma decisão tomada pela sigla de Everaldo após não conseguir atingir a cláusula de barreira.

Com DCM

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo