Brasil

Onda de calor ganha força e pode atingir mais da metade dos estados brasileiros

Instituto Nacional de Meteorologia alerta para temperaturas extremas em várias regiões do país

Uma onda de calor intensa está se intensificando e pode afetar mais da metade dos estados brasileiros, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O calor extremo, que já atingia o Sudeste e o Centro-Oeste desde a semana passada, agora se expande para outras regiões do país. O Inmet emitiu um alerta atualizado sobre as altas temperaturas, destacando o risco em diversas áreas, incluindo partes do Sul, Norte e Nordeste.

Segundo o Inmet, a onda de calor também se prolongou em sua duração e deve persistir pelo menos até sexta-feira. Mais de 2.700 municípios estão em situação de grande perigo devido às altas temperaturas, e muitos deles também estão em alerta devido à baixa umidade.

O alerta do Inmet anteriormente previa temperaturas extremas em cinco estados e no Distrito Federal, incluindo São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Goiás. No entanto, a atualização incluiu regiões do Paraná, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Piauí, Tocantins, Amazonas e Rondônia na lista de áreas afetadas.

O Inmet alerta que as temperaturas nessas regiões podem ficar até 5 graus acima da média, representando riscos para a saúde. Recomenda-se que a população busque orientação junto à Defesa Civil em caso de problemas e mantenha-se protegida do sol, bebendo água e evitando esforços físicos prolongados, especialmente durante as horas mais quentes do dia.

Embora oalerta geral do Inmet preveja a continuidade do evento climático até sexta-feira, a MetSul Meteorologia informou que em algumas áreas o fenômeno pode durar até duas semanas. De acordo com as medições, as condições atmosféricas podem se assemelhar aos registros de alguns dos lugares mais quentes do mundo, como os desertos do sudeste dos Estados Unidos e do Oriente Médio.

A expectativa é que essa onda de calor supere os eventos semelhantes registrados em setembro e outubro, tanto em intensidade quanto em duração. Prevê-se que o recorde histórico nacional de temperatura seja quebrado nos próximos dias. Até agora, a temperatura mais alta já registrada foi de 44,8°C em Nova Maringá, Mato Grosso, em novembro de 2020. No entanto, os modelos da MetSul projetam que as temperaturas nos próximos dias irão superar essa marca.

Enquanto isso, a região Sul do Brasil continua enfrentando chuvas excessivas e alagamentos. As tempestades devem persistir no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, causadas pelo calor intenso que vem do centro do país e do Norte da Argentina. Nas regiões onde o ar está muito quente, a instabilidade é bloqueada, resultando em chuvas intensas nas áreas periféricas dessa massa de ar superaquecida.

Além disso, outras áreas do Brasil também podem registrar tempestades nos próximos dias, incluindo locais que estão enfrentando a onda de calor. O Inmet alerta que há possibilidade de chuva acompanhada de ventos de até 60 quilômetros por hora e queda de granizo em regiões do Rio de Janeiro, como Nova Friburgo, Teresópolis, Petrópolis e Volta Redonda. As tempestades também podem atingir municípios do Acre, Rondônia e Amazonas, incluindo as capitais Rio Branco (AC) e Porto Velho (RO), bem como as Terras Indígenas do Alto Rio Negro e do Vale do Javari (AM).

A situação é preocupante, pois a onda de calor e as tempestades representam desafios extremos para a população em geral e para as pessoas em situação de rua, que enfrentam dificuldades adicionais nesse contexto. É importante que as autoridades e os cidadãos estejam atentos aos alertas e tomem as devidas precauções para garantir a segurança e o bem-estar de todos.

Fonte: Brasil de Fato

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo