Mundo

Milhões de pessoas protestam contra os bombardeios dos EUA no Iêmen

População sai em defesa do Ansarallah e dos ataques dos houthi contra Israel; EUA e Reino Unido fizeram mais de 73 ataques contra o grupo

Nesta sexta-feira (13), mais de um milhão de pessoas saíram às ruas do Iêmen para protestar contra os constantes bombardeios realizados pelos Estados Unidos no país. O protesto em massa foi uma demonstração de apoio ao grupo Ansarallah e aos ataques do grupo houthi contra Israel.

Os bombardeios dos EUA e do Reino Unido têm sido alvo de críticas em todo o mundo, e o governo houthi ganhou reconhecimento por ser o único da região a confrontar Israel. O evento foi marcado por uma manifestação gigantesca em Saná, capital do Iêmen.

Protesto em apoio ao Ansarallah


O Ansarallah, também conhecido como houthi, é um grupo político-militar que ganhou popularidade no mundo árabe por sua postura pró-Palestina e por seus ataques contra Israel. Nos últimos meses, o grupo intensificou seus ataques, incluindo bombardeios a navios no Mar Vermelho que tinham ligação com o governo israelense. Essa estratégia de ataque tem causado pressão sobre as principais economias da região, que até então não haviam tomado medidas militares contra Israel, apesar do genocídio em curso na Faixa de Gaza desde outubro do ano passado.

A popularidade do governo houthi


O governo houthi conquistou apoio e popularidade entre os árabes pró-Palestina devido à sua postura combativa contra Israel. Ao atacar alvos israelenses, o grupo conseguiu chamar a atenção para a causa palestina e despertou a solidariedade de muitas pessoas na região. O governo houthi também foi reconhecido por ser o único da região a enfrentar diretamente os bombardeios dos EUA e do Reino Unido, que têm causado muitas vítimas civis e destruição no Iêmen.

Protesto em Saná


A manifestação gigantesca ocorreu em Saná, capital do Iêmen, e contou com a participação de mais de um milhão de pessoas. Os manifestantes exibiam cartazes e faixas com mensagens de repúdio aos bombardeios dos EUA e do Reino Unido, além de reivindicar o fim do genocídio em Gaza. O protesto foi marcado por uma atmosfera de união e indignação contra a violência e a guerra.

Críticas aos bombardeios dos EUA e do Reino Unido


Os bombardeios dos EUA e do Reino Unido no Iêmen têm sido alvo de críticas em todo o mundo. Organizações de direitos humanos condenam a ação militar, argumentando que ela tem causado um enorme número de vítimas civis e destruição no país. O Iêmen é considerado uma das maiores crises humanitárias do mundo, com milhões de pessoas sofrendo com a falta de alimentos, água potável e acesso a serviços básicos de saúde.

O papel dos Estados Unidos no conflito


Os Estados Unidos têm desempenhado um papel importante no conflito no Iêmen, fornecendo apoio militar e logístico à coalizão liderada pela Arábia Saudita, que está envolvida em uma guerra contra os houthis desde 2015. A comunidade internacional tem pressionado os EUA a interromperem seu apoio à coalizão saudita e a buscar uma solução pacífica para o conflito.

O protesto massivo no Iêmen contra os bombardeios dos EUA e do Reino Unido demonstra a insatisfação e a revolta da população com a violência e a guerra. O governo houthi ganhou apoio por sua postura pró-Palestina e por confrontar diretamente os ataques israelenses. A comunidade internacional continua a pressionar por uma solução pacífica para o conflito no Iêmen e pelo fim dos bombardeios que têm causado tanta devastação no país.

Com Revista Fórum

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo