Mundo

Michael Hudson afirma que Netanyahu é uma marionete dos Estados Unidos, assim como Zelensky

Economista destaca a influência dos interesses norte-americanos sobre líderes políticos

O renomado economista Michael Hudson expressou sua visão contundente sobre a relação entre líderes políticos e os Estados Unidos em um vídeo intitulado “Por que os Estados Unidos apoiam Israel?”. Segundo Hudson, tanto Benjamin Netanyahu, líder israelense, quanto Volodymyr Zelensky, presidente ucraniano, são vistos como marionetes nas mãos dos interesses norte-americanos.

Netanyahu como peça-chave para os interesses estratégicos dos EUA

Durante uma entrevista concedida a Ben Norton, Hudson compartilhou sua perspectiva de que Netanyahu desempenha o papel de um “porta-aviões aéreo” para os Estados Unidos no Oriente Médio. De acordo com o economista, o controle estratégico da região, rica em petróleo, é fundamental para os interesses norte-americanos, e Israel desempenha um papel crucial nesse sentido. Hudson comparou a situação com Zelensky, destacando que o presidente ucraniano também segue os interesses dos EUA.

Israel como uma ferramenta dos EUA na região

Hudson ressaltou que, desde a criação de Israel, a visão era de que o país seria um posto avançado dos interesses dos Estados Unidos. Para ele, Israel é mais uma ferramenta para alcançar os objetivos geopolíticos norte-americanos na região, ao invés de ser um fim em si mesmo. O economista também abordou os conflitos em Gaza, destacando que os armamentos utilizados são de fabricação norte-americana, evidenciando o apoio indireto dos Estados Unidos a líderes específicos, como Netanyahu.

Líderes como marionetes e a busca por influência global

Ao utilizar o termo “marionetes” para descrever Netanyahu e Zelensky, Hudson sugere que suas posições são moldadas e direcionadas pelos Estados Unidos, em conformidade com a estratégia geopolítica do país para manter sua influência global. O economista argumenta que esses líderes, embora representem nações soberanas, acabam servindo aos interesses norte-americanos em vez de exercerem autonomia política.

A complexa dinâmica de poder e influência global

A visão de Michael Hudson traz à tona a complexidade do jogo de poder e influência global, onde líderes políticos podem ser percebidos como instrumentos nas mãos de potências maiores. Sua análise provocativa sobre a relação entre os Estados Unidos e líderes como Netanyahu e Zelensky lança luz sobre uma dinâmica que nem sempre é amplamente discutida. Assista ao vídeo para uma compreensão mais aprofundada das ideias de Hudson.

Redação com Brasil 247

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo