Brasil

Ex-comandantes confirmam à PF pressão de Bolsonaro por golpe para se manter no poder

General Marco Antônio Freire Gomes e brigadeiro Carlos Baptista Júnior depõem e revelam a intenção do ex-presidente de promover um golpe de Estado

Dois ex-comandantes militares, o general Marco Antônio Freire Gomes e o brigadeiro Carlos Baptista Júnior, prestaram depoimento à Polícia Federal confirmando a existência de pressões do ex-presidente Jair Bolsonaro por um golpe de Estado. As informações foram reveladas em uma reportagem exclusiva da CNN Brasil, que teve acesso aos depoimentos. Essas revelações lançam luz sobre a tentativa de Bolsonaro de se manter no poder através de meios antidemocráticos.

Pressão para um golpe


Durante os depoimentos à Polícia Federal, os ex-comandantes confirmaram que foram convocados para reuniões no Palácio do Alvorada, onde Bolsonaro apresentou a ideia de utilizar instrumentos jurídicos como a Garantia da Lei e da Ordem (GLO), estado de defesa ou estado de sítio para se manter no poder. O ex-presidente propôs essas medidas sob o pretexto de preservar a estabilidade e a ordem no país, mas na realidade visava a perpetuação de seu mandato de forma antidemocrática.

Implicação de outros membros do governo


Além de confirmar a pressão de Bolsonaro, os ex-comandantes também implicaram o ex-ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira, e o ex-ministro da Justiça, Anderson Torres, na elaboração de um plano golpista. Segundo as investigações, Nogueira foi apontado como um dos articuladores da minuta golpista, enquanto Torres desempenhava o papel de “tradutor jurídico” para os comandantes militares. Essas revelações indicam que a tentativa de golpe não era um projeto isolado de Bolsonaro, mas contava com o envolvimento de outros membros do governo.

Recusa dos comandantes


Durante as reuniões, tanto o general Freire Gomes quanto o brigadeiro Baptista Júnior afirmaram ter rejeitado em diversas ocasiões a proposta de golpe apresentada por Bolsonaro. Eles se posicionaram contrários a medidas antidemocráticas e deixaram claro que não apoiariam qualquer ação que violasse a Constituição e os princípios democráticos. O então comandante da Marinha, almirante Almir Garnier, também teria colocado as tropas à disposição de Bolsonaro, de acordo com os depoimentos dos ex-comandantes.

Repercussões e investigações em curso


Essas revelações trazem à tona a gravidade da situação política no Brasil e a tentativa de Bolsonaro de minar as instituições democráticas em busca de poder. O depoimento dos ex-comandantes militares à Polícia Federal é parte de uma investigação em andamento que busca apurar as ações antidemocráticas e possíveis crimes cometidos pelo ex-presidente e seus aliados. A confirmação da pressão por um golpe fortalece as evidências que indicam uma ameaça à democracia no país.

Compromisso com a democracia


É fundamental ressaltar a importância de preservar e fortalecer os pilares da democracia brasileira. A sociedade civil, as instituições democráticas e a população em geral devem estar atentos e engajados na defesa dos valores democráticos, rechaçando qualquer tentativa de golpe ou violação da Constituição. A transparência das investigações e a responsabilização dos envolvidos são aspectos cruciais para assegurar a estabilidade democrática e acreditar na construção de um país mais justo e igualitário.

Conclusão


Os depoimentos dos ex-comandantes militares à Polícia Federal confirmam a pressão exercida por Jair Bolsonaro por um golpe de Estado com o intuito de se manter no poder. Essa revelação traz à tona a ameaça à democracia e a necessidade de se fortalecerem os mecanismos de defesa dos princípios democráticos. A sociedade e as instituições devem permanecer vigilantes, rejeitando qualquer ação que viole a Constituição e lutandopela preservação da ordem constitucional e dos valores democráticos. A investigação em curso buscará esclarecer os fatos e responsabilizar os envolvidos, garantindo a justiça e a manutenção do Estado de Direito no Brasil. É essencial que todos os cidadãos estejam cientes do papel fundamental que desempenham na defesa da democracia e na construção de um país mais justo e igualitário.

Com Brasil 247

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo